sábado, 31 de março de 2012

ENSINANDO ASL PARA CRIANÇAS


PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO 1959-2012



Cenário 1: João não fica quieto na sala de aula. Interrompe e perturba os colegas.

1959: É mandado à sala da diretoria, fica parado esperando 1 hora, vem o diretor, lhe dá uma bronca descomunal e volta tranquilo à classe.
 
2010: É mandado ao departamento de psiquiatria, o diagnosticam como hiperativo, com transtornos de ansiedade e déficit de atenção em ADD, o psiquiatra  lhe receita  Rivotril. Se transforma num Zumbí. Os pais reivindicam uma subvenção por ter um filho incapaz.



Cenário 2: Luis quebra o farol de um carro no seu bairro.

1959:  Seu pai tira a cinta e lhe aplica umas sonoras bordoadas no traseiro... A Luis nem lhe passa pela cabeça fazer outra nova besteira, cresce normalmente, vai à universidade e se transforma num profissional de sucesso.

2012: Prendem o pai de Luis por maus tratos. O condenam a 5 anos de reclusão e, por 15 anos deve abster-se de ver seu  filho.   Sem o guia de uma  figura paterna, Luis se volta para a droga, delinque e fica preso num presídio especial para adolescentes.



Cenário 3: José cai enquanto corria no pátio do colégio, machuca o joelho. Sua professora Maria,  o encontra chorando e o abraça para confortá-lo...

1959: Rapidamente, João se sente melhor e continua brincando.

2012: A professora Maria é acusada de abuso sexual, condenada a três anos de reclusão. José passa cinco anos de terapia em terapia. Seus pais processam o colégio por negligência e a professora por danos psicológicos, ganhando os dois juízos. Maria renuncia à docência, entra em aguda depressão e se suicida... 



Cenário 4: Disciplina escolar

1959: Fazíamos bagunça na classe... O professor nos dava umas boa lição de moral e/ou encaminhava para a direção; chegando em casa, nosso velho nos castigava sem piedade.

2012: Fazemos bagunça na classe. O professor nos pede desculpas por repreender-nos e fica com a culpa por fazê-lo. Nosso velho vai até o colégio se queixar do docente e para consolá-lo compra uma moto para o filhinho.
 



Cenário 5: Horário de Verão.

1959: Chega o dia de mudança de horário de inverno para horário de verão. Não acontece nada. 

2012: Chega o dia de mudança de horário de inverno para horário de verão. A gente sofre transtornos de sono, depressão, falta de apetite,  nas mulheres aparece celulite.



Cenário 6: Fim das férias.

1959: Depois de passar férias com toda a família enfiada num Gordini, após 15 dias de sol na praia, hora de voltar. No dia seguinte se trabalha e tudo bem.

2012: Depois de voltar de Cancún, numa viagem 'all inclusive', terminam as férias e a gente sofre da síndrome do abandono, pânico, attack e seborreia...
 



Fica a pergunta .... 
QUANDO FOI QUE NOS TRANSFORMAMOS NISSO?

OS ANIMAIS SABEM SER CARIDOSOS...

 
Lily é um Cão cego desde uma operação que exigiu a retirada de seus olhos.


Nos últimos 5 anos, Maddison, outro Great Dane, tem sido a sua visão.



Os dois são, naturalmente, inseparáveis. 


GOVERNO OFICIALIZA MERCADANTE NO LUGAR DE HADDAD


Fábio Brandt - Do UOL, em Brasília 

O governo federal anunciou na quarta-feira (18/01/12) a primeira mudança ministerial do ano de 2012. O ministro da Educação, Fernando Haddad, deixa o cargo para concorrer à Prefeitura de São Paulo nas eleições desse ano. Ele será substituído por Aloizio Mercadante, que ocupava o Ministério da Ciência e Tecnologia. No lugar de Mercadante entra Marco Antônio Raupp, que era presidente da Agência Espacial Brasileira.

A presidenta da República, Dilma Rousseff, agradece o empenho e a dedicação do ministro Haddad à frente de ações que estão transformando a educação brasileira e deseja a ele sucesso em seus projetos futuros. Da mesma forma, ressalta o trabalho de Mercadante e Raupp nas atuais funções, com a convicção de que terão o mesmo desempenho em suas novas missões”, afirma nota oficial do governo.

A posse e a transmissão de cargo dos novos ministros acontece no próximo dia 24 de janeiro.

Essa é a primeira mudança na composição do primeiro escalão do governo. Nos últimos meses, criou-se em Brasília expectativa de uma reforma ministerial nos primeiros meses do ano. O processo ainda deve incluir substituição de ministros e talvez extinção de algumas pastas.

A ministra-chefe da Secretaria de Políticas para Mulheres, Iriny Lopes (PT), também deve deixar seu cargo por causa da eleição. Quer disputar a Prefeitura de Vitória, capital do Espírito Santo.

Podem perder o cargo ministros acusados de irregularidades. É o caso de Mário Negromonte (Cidades, filiado ao PP), Fernando Pimentel (Indústria e Comércio exterior, do PT) e Fernando Bezerra (Integração Nacional, do PSB).

Com situação indefinida em eventual mudança no primeiro escalão estão os ministros Paulo Passos (Transportes, filiado ao PR) e Paulo Roberto dos Santos (Trabalho, do PDT). Ambos assumiram as pastas após a demissão dos antecessores, Alfredo Nascimento (PR) e Carlos Lupi (PDT), respectivamente.

Já o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro (PMDB), tem enfrentado problemas de saúde e por isso pode deixar o governo. Guido Mantega (PT) pode sair da Fazenda para dedicar mais tempo ao tratamento de sua mulher contra o câncer.

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence (PT), é incluído na lista de possíveis baixas porque, nos bastidores, integrantes do governo comentam que Dilma tem má avaliação da gestão de Florence. Já a ministra da Cultura, Ana de Holanda, enfrenta críticas de setores do PT e da classe artística e também pode sair de sua pasta.

Extinção de pastas

Até agora o governo não confirmou planos de diminuir o número de ministérios – são 38 atualmente. Mas entre possíveis cenários, o Ministério da Pesca e Aquicultura pode ser absorvido pelo da Agricultura. Nesse caso o atual ministro da Pesca, Luiz Sérgio (PT), deve perder o cargo.

O ministro do Trabalho, Paulo Roberto (PDT), já em situação incerta, teria sua permanência no cargo dificultada se a pasta fosse unida à da Previdência Social, atualmente dirigida por Garibaldi Alves (PMDB).

As ministras petistas Luiza Bairros (Igualdade Racial) e Maria do Rosário (Direitos Humanos) também teriam o cargo ameaçado se suas pastas se transformassem em apenas uma, absorvendo também a de Políticas para as Mulheres.

Perfis

Natural de Cachoeira do Sul (RS), Marco Antônio Raupp, 73, tornou-se presidente da Agência Espacial Brasileira em março de 2011. Raupp não é filiado a partido político.

Formado em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), tem PhD em matemática pela Universidade de Chicago e livre-docência pela USP. Já presidiu a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Por sua atuação como cientista já recebeu a Ordem do Rio Branco, do Ministério das Relações Exteriores, e a Grão-Cruz, do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Quando começaram as especulações sobre a saída de Mercadante do Ministério da Ciência e Tecnologia, Raupp foi cogitado como uma opção técnica para assumir a pasta. Outros nomes chegaram a ser mencionados entre os possíveis novos ministros, como a senadora Marta Suplicy (PT-SP), ex-prefeita de São Paulo, e o deputado federal Newton Lima (PT-SP), ex-prefeito de São Carlos.

Aloizio Mercadante Oliva, filiado ao PT, ocupa o cargo de ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação desde o início do governo de Dilma Rousseff, em 1º de janeiro de 2011. Assumiu a pasta após perder, pela segunda vez, uma eleição para o governo de São Paulo.

Mercadante foi candidato a vice-presidente da República na chapa de Lula em 1994. Teve dois mandatos de deputado federal pelo PT de São Paulo, de 1991 a 1995 e de 1999 a 2003. Em 2003 assumiu uma vaga de senador, para a qual foi eleito na votação de 2002.

No Senado, Mercadante foi líder do governo Lula e do PT. Passou por constrangimento durante o auge do escândalo dos atos secretos na Casa. Ele havia dito que renunciaria à liderança do PT por discordar do apoio que o partido deu à época ao então presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), acusado de irregularidades. A pedido de Lula, manteve-se no cargo.

Mercadante é professor licenciado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e na Universidade de Campinas (Unicamp).

ALTAS HABILIDADES: O QUE SÃO?


APRENDA O ALFABETO MANUAL AMERICANO


ANÁLISE DA ACESSIBILIDADE NAS ESCOLAS DE CANOAS


sexta-feira, 30 de março de 2012

INCLUSÃO DIGITAL PARA DEFICIENTES VISUAIS


ALFABETO MANUAL E PALAVRAS BRASILEIRAS DE ORIGEM AFRO


UMA AMIGA DIFERENTE


EVENTO SOBRE INCLUSÃO SOCIAL E ACESSIBILIDADE - CONTRADIÇÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA


CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO


TESTE SEU NÍVEL DE PRECONCEITO


UM PENSAMENTO DE JEAN PIAGET


IV CAMINHADA LOUIS BRAILLE

 
 Na sexta-feira (30), o SESC, em parceria com a Associação de Cegos do Estado do Ceará (ACEC), realizou a Caminhada Louis Braille. A 4ª edição do evento aconteceu das 8h às 10h, na Av. Beira Mar - em Fortaleza. 



Além da caminhada, teve um show musical, como também, dicas para a construção de uma cidade acessível para todos e um momento de confraternização pelas conquistas alcançadas. 

O evento iniciou a celebração ao Dia Nacional do Braille, lembrado dia 8 de abril.

O Centro de Referência em Educação e Atendimento Especializado do Estado do Ceará (CREAECE), a Sociedade de Assistência aos Cegos, a Escola Instituto dos Cegos do Estado do Ceará, a Biblioteca Pública Setor Braille, SESA – Comissão de Saúde Ocular, a Casa da Esperança, CEDEF, pais e demais segmentos da comunidade estiveram presentes, numa demonstração de apoio à iniciativa.


 
fonte: http://www.sesc-ce.com.br/

domingo, 25 de março de 2012

O AMOR DERRUBA QUALQUER PRECONCEITO



O amor é mesmo Incrível (...)
Derruba qualquer Barreira e Preconceito.
O amor simplesmente é capaz de Tudo!

A SOLIDARIEDADE ESTÁ NO CORAÇÃO!!!


quinta-feira, 22 de março de 2012

ABORTO: UMA REFLEXÃO



Uma mulher chega apavorada no consultório de seu ginecologista e diz:
- Doutor, o senhor terá que me ajudar num problema muito sério… Este meu bebê ainda não completou um ano e já estou grávida novamente. Não quero filhos em tão curto espaço de tempo, mas num espaço grande entre um e outro…

O médico então perguntou: 
- Muito bem. O que a senhora quer que eu faça? 

A mulher respondeu:
- Desejo interromper esta gravidez e conto com a sua ajuda. 

O médico então pensou um pouco e depois de algum tempo em silêncio disse para a mulher:
- Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para a senhora. A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria seu pedido.

Ele então completou: 
- Veja bem minha senhora, para não ter que ficar com dois bebês de uma vez, em tão curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, a senhora poderá descansar para ter o outro, terá um período de descanso até o outro nascer. Se vamos matar, não há diferença entre um e outro. Até porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco…

A mulher apavorou-se e disse: 
- Não doutor! Que horror! Matar um criança é um crime.

E o médico completou:
- Também acho minha senhora, mas me pareceu tão convencida disso, que por um momento pensei em ajudá-la. 

O médico sorriu e, depois de algumas considerações, viu que a sua lição surtira efeito. Convenceu a mãe que não há menor diferença entre matar a criança que nasceu e matar uma ainda por nascer, mas já viva no seio materno.

O CRIME É EXATAMENTE O MESMO!!

Você sabe desde quando Deus te ama?
DESDE O VENTRE DA TUA MÃE!

ALUNO É TRANSITÓRIO, FILHO É PARA SEMPRE!!!


VIVA O PRESENTE INTENSAMENTE!!!


terça-feira, 20 de março de 2012

O QUE NOS FAZ ÚNICOS???

 
O preconceito se faz presente mesmo em atitudes que parecem sem importância, ou soam em tom de cordialidade, como a velha adjetivação "coitadinho". Se é que um dia essa época existiu, foi-se o tempo em que pessoas com Síndrome de Down eram coitadas. 

Nesta quarta-feira, 21 de março, quase 150 anos depois da descoberta da doença e na data em que se comemora o Dia Internacional da Síndrome de Down, elas querem independência e inclusão social. Querem e conseguem.

Afinal é preciso amar as pessoas independente de cor, raça, ou deficiência, portanto ninguém igual a ninguém, mas iguais perante a Deus.

ESTA É UMA HOMENAGEM À TODAS AS CRIANÇAS QUE DEUS FEZ DE UMA FORMA única e excepcional.

SOBREVIVENTE DE ATAQUE A BOMBAS EM LONDRES CRIA APLICATIVO PARA DEFICIENTES



Jonathan Weinberg | BBC | 31.01.12

Londres - Um sobrevivente dos ataques a bomba em Londres em 2005 criou um aplicativo de smartphone para ajudar pessoas com deficiência a se locomover com mais facilidade pela capital britânica.

Daniel Biddle perdeu as duas pernas, o baço e a visão do olho esquerdo quando um extremista detonou uma bomba no vagão de metrô na estação Edgware, no dia 7 de julho de 2005.

"O que aconteceu comigo em 7/7 me roubou toda a capacidade de ir praticamente a qualquer lugar", disse o sobrevivente à BBC.
"Posso pensar em inúmeras ocasiões em que precisava encontrar um banheiro ou ir a um restaurante, e foi impossível. Faltam informações úteis para pessoas em cadeiras de roda, dificuldades de aprendizado e problemas de visão."

Acessibilidade

O aplicativo Ldn Access, criado por Biddle e uma amiga, Tobi Collett, armazena detalhes sobre percursos sem degraus, rampas e instalações sanitárias adaptadas que podem ser encontrados em milhares de locais na capital britânica, como hotéis, teatros, restaurantes, bares, etc.

Através de tecnologia de localização, o programa consegue oferecer informações baseadas na área em que o usuário se encontra. Pode-se escolher uma categoria geral, como restaurantes, e a partir daí refinar a busca, por exemplo, por tipo de comida (indiana, chinesa, grelhados, etc.).

Biddle diz que a dupla criou um aplicativo simples de usar "porque alguém com problemas de destreza, ou artrite nas mãos, pode não ser capaz de digitar palavras muito longas. É simplesmente apertar um ícone na tela".

O aplicativo tem informações inclusive sobre os locais que serão usados nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Londres, a partir do fim de julho. E funciona sem conexão com a internet, o que significa que mesmo dentro do metrô o usuário pode checar as informações.

"Para checar se as informações estavam corretas, fomos às ruas e visitamos aleatoriamente os locais listados no aplicativo", conta Biddle. "Tivemos de identificar os locais, entrar nos sites dos lugares, fazer ligações."

A princípio, o aplicativo roda apenas no sistema operacional iOS, da Apple, mas Biddle e Collett pretendem investir o dinheiro levantado com as vendas originadas na loja da Apple, onde está disponível, para criar versões para Android, Blackberry e Windows Phone, e não só sobre Londres, mas outras cidades britânicas.

"Com esse aplicativo, queremos mostrar que a deficiência física não é um problema, o problema é a falta de acessibilidade", afirma Biddle. "A tecnologia pode ser excelente para prover independência. Queremos que este ajuda os deficientes físicos a fazer o que quiserem."



FONTE: BBC






* O TEXTO ENCONTRA-SE EM SEU FORMATO ORIGINAL. ERROS GRAMATICAIS E DISTORÇÕES SÃO DE RESPONSABILIDADE DO AUTOR.

SOFTWARE INOVADOR CONVERTERÁ LIBRAS EM TEXTO

Aplicativo tem como alvo as câmeras de celulares, smartphones, tablets e laptops.

 

Imagine por um instante que você não consiga compreender uma palavra do que seus amigos dizem numa conversa, que aquele filme sem legendas não está fazendo qualquer sentido ou que então praticamente nada da sua aula favorita está entrando na sua cabeça. 
Estes são desafios básicos, cotidianos, de quem tem incapacidades auditivas. Tal qual um outro idioma qualquer, especialmente durante a infância e a adolescência, o aprendizado da linguagem de sinais é um investimento que leva tempo e que frequentemente se choca com um mundo onde este idioma é minoria.

As coisas se complicam ainda mais quando uma pessoa não nasce com tais dificuldades, mas sim as adquire ao longo da vida, talvez até quando adultos. Se incluirmos expressões populares, maneirismos e gírias de cada região, pode-se adicionar algumas camadas a mais de dificuldade. Nem sempre é possível “ler” o mundo em letras quando o som falta.

Pesquisadores da Universidade de Aberdeen (Escócia) pretendem mudar isso, e rápido. Eles tem trabalhado em um programa de computador com enormes potenciais para revolucionar o modo com que pessoas com necessidades auditivas especiais interagem com o seu redor.
O software se chama PSLT (Tradutor Portátil de Linguagem de Sinais) e é baseado no idioma BSL (Linguagem Britânica de Sinais) – sim, cada país tem a sua. No Brasil ela é conhecida como LIBRAS.
O que torna o projeto especialmente inovador é o fato de que o PSLT poderá ser instalado virtualmente em qualquer dispositivo que tenha uma câmera, incluindo smartphones, tablets, netbooks e laptops.
Além disso, o projeto permitirá que o usuário possa criar seus próprios sinais, customizando novas palavras e expressões à sua maneira e assim permitir que a linguagem de sinais possa evoluir com a mesma velocidade que a linguagem sonora, onde novos termos e expressões são criados enquanto você termina de ler este texto.
É justamente este aspecto de personalização desta nova tecnologia que a aponta para um novo momento social para deficientes auditivos. E mesmo tendo a linguagem de sinais evoluído imensamente nas últimas décadas, ainda me lembro de como uma ex-namorada minha (professora de BST) enfrentava dificuldades das mais simples ao interagir com pessoas ‘analfabetas’ em seu idioma.
Deste cenário, que muitas vezes ainda prevalece, espera-se que ao interagirmos uns com os outros, bastará que uma pessoa gesticule para a câmera de nossos smartphones para que assim possamos compreende-la completamente. Tanto em texto quanto em voz (TTS), além de todas as nuances, gírias e peculiariedades de sua expressão.
O PSLT é aguardado ansiosamente pelo mundo para o final de 2013.


Com informações: PSLT. A imagem da ilustração foi produzida com o aplicativo Cinemagr.am para iPhone a partir do Dicionário de BSL da SignStation

 FONTE: http://cmpdcruzalta.blogspot.com.br/

 

* O TEXTO ENCONTRA-SE EM SEU FORMATO ORIGINAL. ERROS GRAMATICAIS E DISTORÇÕES SÃO DE RESPONSABILIDADE DO AUTOR.

OS SURDOS E A INCLUSÃO EDUCACIONAL


O reconhecimento legal da língua brasileira de sinais significou a admissão pelo Estado de que as comunidades surdas se constituem numa minoria linguística. No plano pedagógico, isso deveria significar a substituição do antigo critério médico da condição sensorial (a surdez) para o critério linguístico, psicológico, antropológico e pedagógico da especificidade da língua (a Libras). Assim, a relação da escola com a criança surda não poderia mais ser pensada sob a perspectiva da deficiência, mas sim da diferença linguístico-cultural.

Apesar disso, as atuais referências da discussão sobre a inclusão educacional continuam a se constituir no plano abstrato da categoria médica da deficiência, na qual coisas tão pouco relacionadas entre si, como diferenças físicas, sensoriais e cognitivas, são, com base no critério da normalidade, indistintamente agrupadas.

Feita essa abstração, a deficiência é então pensada no plano igualmente abstrato dos direitos humanos, no qual se afirma a igualdade de todos os indivíduos; logo, todas as pessoas com deficiências, sendo iguais às demais, devem da mesma forma frequentar as escolas ditas regulares. Essa é, em todos os aspectos, uma conclusão correta.

O problema só surge quando daí a atual equipe de educação especial do Ministério da Educação (MEC) conclui que qualquer reivindicação à diferença, mesmo quando se trata da diferença linguística dos surdos, é contra os direitos humanos, pois é contra o princípio da igualdade. Por permanecer presa à identidade formal do gênero humano consigo mesmo, a abstração que serve de base à atual política de inclusão educacional não consegue conter o desenvolvimento da diferença.

Assim, a atual política oficial de inclusão opera uma abstração da especificidade linguística dos surdos e a reconduz à categoria médica da deficiência, através da qual busca dissolver a diferença surda na igualdade abstrata entre os indivíduos.

Trata-se de uma naturalização da surdez, uma fixação do surdo no que lhe falta do ponto de vista sensório-perceptivo e, ao mesmo tempo, uma negação do que excede a essa falta natural, que é a língua na qual ele organiza o mundo e nele intervém.

Justo quando quer abandonar o critério médico como critério pedagógico, a atual política de inclusão educacional a reafirma como critério pedagógico. Desse modo, a velha escola especial – que no caso dos surdos quer dizer a escola oralista, lugar de cura da surdez e de reabilitação da fala – retorna com todos os seus direitos na chamada escola inclusiva, que mantém a Português como língua de instrução.

Para os surdos, a superação radical do critério médico como critério pedagógico, que é comum à antiga e à nova política de educação especial, só pode ser uma escola diferenciada bilíngue Libras/Português, na qual se acolha e se desenvolva o que os surdos fizeram linguístico-culturalmente de si, para além do que lhe faltou a natureza.


Fonte: O Povo Online (01/08/11)

* O TEXTO ENCONTRA-SE EM SEU FORMATO ORIGINAL. ERROS GRAMATICAIS E DISTORÇÕES SÃO DE RESPONSABILIDADE DO AUTOR.

SENADO APROVA DESCONTO EM MENSAGEM DE CELULAR PARA DEFICIENTES AUDITIVOS


O Senado aprovou nesta quarta-feira projeto que obriga as operadoras de telefonia celular a conceder descontos no envio de torpedos para clientes com deficiência auditiva ou de fala. 

Pelo texto, os clientes terão direito a planos com tarifas reduzidas para serviços de mensagens SMS tanto em celulares pré-pagos como pós-pagos. 

Como o projeto foi aprovado em caráter terminativo pela Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, segue para análise da Câmara dos Deputados se não houver recurso para ser votado no plenário da Casa. 

"Em tempos de desenvolvimento sem precedentes de novos meios e plataformas de comunicação, adquire especial importância a criação de mecanismos que evitem a condenação de qualquer segmento populacional à exclusão pela dificuldade de acesso a esse mundo", disse o senador Paulo Paim (PT-RS), relator do projeto. 

Segundo o senador, a legislação da acessibilidade já prevê a oferta de planos específicos para os deficientes auditivos --mas na prática a determinação não é cumprida pelas operadoras. 

"Tal norma não é cumprida, o que justifica o tratamento da questão por via legislativa, em norma de maior poder coercitivo." 

O projeto altera o artigo 3º da Lei Geral de Telecomunicações (Lei 9472/97), na qual estão previstos direitos dos usuários de telefonia. 


FONTE:  http://www1.folha.uol.com.br/
EM: 07/03/12

* O TEXTO ENCONTRA-SE EM SEU FORMATO ORIGINAL. ERROS GRAMATICAIS E DISTORÇÕES SÃO DE RESPONSABILIDADE DO AUTOR.

PARTO NATURAL É TRÊS VEZES MAIS SEGURO



Em meio à epidemia de cesarianas que enfrenta o Brasil, segundo palavras do próprio Ministro da Saúde José Gomes Temporão, a Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de divulgar um novo estudo sobre o risco desta opção cirúrgica, quando feita sem necessidade médica: os partos naturais são quase três vezes mais seguros para mães e bebês.

A pesquisa feita com 107 mil mulheres, todas da Ásia, identificou que quando a criança nasce por meio das cesáreas sem indicação por quesitos médicos, a mortalidade da mãe, a necessidade de fazer transfusão de sangue e o encaminhamento dos bebês após o nascimento para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) são 2,7 vezes com mais freqüentes.

O alerta foi feito com base em um índice alarmante: 27,3% das asiáticas avaliadas na pesquisa foram submetidas a cesarianas, taxa alta comparada aos 15% preconizados pela OMS, porém bem inferior ao índice encontrado entre as brasileiras. Do total de partos no País, 43% são cesáreas. Quando na conta entram apenas os procedimentos realizados em maternidades particulares, o registro sobe para 84%, informou ano passado a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Comissão do parto natural

O índice é recordista mundial, afirma o Conselho Federal de Medicina (CFM) e, apesar dos esforços do governo para reduzir as taxas, o efeito foi inverso. O cenário é de aumento de cesarianas já que em 2000, 80% dos partos em unidades privadas em saúde eram deste tipo.

Em muitos casos, lamentam os especialistas, a escolha pela cesárea é por motivos banais. Data de aniversário no mesmo dia do que a mãe, agendas complicadas, mês ou signo preferidos já apareceram como justificativa. Ano passado foi noticiado que alguns casais marcaram a cesárea para o dia 09/09/09 só por causa do ineditismo da data.

A atriz e apresentadora Fernanda Lima foi escalada pelo Ministério da Saúde para tentar ajudar na mudança de quadro. Na época em que estava grávida de gêmeos, ela fez propaganda sobre a importância do parto natural. A causa também virou bandeira do CFM que criou no final do ano passado uma comissão especial para cuidar do assunto.

“Fizemos um fórum em novembro de 2009 e reunimos obstetras, pediatras e mulheres para tentar reverter o quadro, em uma parceria sugerida pela ANS”, afirmou o médico pediatra José Fernando Vinagre, coordenador da Comissão de Parto Natural do CFM. “Já sabemos que para a reversão dos índices precisamos que os hospitais tenham condições de oferecer excelência no atendimento e realização do parto natural. Por isso, este ano, começamos a visitar as maternidades por todo País e vamos fazer uma ampla pesquisa com os obstetras para identificar quais são as principais demandas e falhas atuais”, completou Vinagre. A pesquisa deve ser concluída em julho e a esperança do Conselho e traçar outro paradigma de maternidade.

9 horas contra 90 minutos

Com relação aos médicos, a rotina atribulada de trabalho – mais de 70% atuam em dois ou mais empregos revelou censo feito pelo Conselho de Medicina de São Paulo – pode ser um dos motivos. É sabido que alguns trabalhos de parto chegam a durar nove horas e a maior parte das cesáreas podem ser feitas em uma hora e meia. Apesar disso, as vantagens do parto natural são incalculáveis, informa o Ministério da Saúde.

Estudos internacionais já demonstram que fetos nascidos entre 36 e 38 semanas, antes do período normal de gestação (40 semanas), têm 120 vezes mais chances de desenvolver problemas respiratórios agudos e, em conseqüência, acabam precisando de internação em unidades de cuidados intermediários ou mesmo em UTIs neonatais. Além disso, no parto cirúrgico há uma separação abrupta e precoce entre mãe e filho, num momento primordial para o estabelecimento de vínculo.

Males da mulher moderna

Entender os motivos que fazem as mulheres priorizarem a cesariana também foi o foco de uma enquete realizada por pesquisadores da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Eles acompanharam de perto 23 grávidas que acabaram fazendo cesárea. Ao perguntar a opinião delas sobre o aumento crescente de mulheres que fazem uma cesárea, o principal fator foi o medo das dores do parto e o desconhecimento das vantagens do parto normal. “Algumas mulheres do setor privado destacaram a possibilidade de programar o parto devido à vida agitada da mulher contemporânea, em vez de esperar pela imprevisibilidade do parto normal”, afirmam os pesquisadores nos Cadernos de Saúde Pública, veículo em que o estudo foi publicado.


FONTE: http://delas.ig.com.br/saudedamulher/

* O TEXTO ENCONTRA-SE EM SEU FORMATO ORIGINAL. ERROS GRAMATICAIS E DISTORÇÕES SÃO DE RESPONSABILIDADE DO AUTOR.

PENSAMENTO DE IRANY NOVAH MORAES





Ver e não enxergar é comum;
ver e enxergar é habilidade;
enxergar o que vê é inteligência,
mas enxergar o que não se vê, é privilégio.

Dr. IRANY NOVAH MORAES

CURSO DE FOTOGRAFIA PARA SURDOS


NOVA DESCOBERTA SOBRE O AUTISMO


REPORTAGEM: CRIANÇAS RECEBEM ATENÇÃO ESPECIAL DE CUIDADORES


CORAL DE SURDOS UNESC


VIVIANE MACEDO: DANÇARINA E CADEIRANTE


NADIA BROWNING ENSINA TÉCNICAS DE COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA


PROJETO JARDIM SENSORIAL ITINERANTE


MARCOS LIMA, JORNALISTA CEGO


A HISTÓRIA DE LAURA, QUE TEM SÍNDROME DE ASPERGER


A HISTÓRIA DA CADEIRANTE ANA LAURA


ACESSIBILIDADE NO PROJETO TAMAR


CONVITE COMEMORAÇÃO 10 ANOS DA LEI DALIBRAS


PASSE LIVRE INTERESTADUAL - MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES

MANUAL DO BENEFICIÁRIO
O Passe Livre é um benefício que demonstra um avanço da sociedade e conquista do portador de deficiência, pois trouxe mais respeito e dignidade para o portador de deficiência dentro do contexto social.
O bom funcionamento do benefício do Passe Livre depende da fiscalização de todos. Cabe o benefício aos portadores de deficiência carente, tendo pois o direito de viajar por todo o país.
Quem tem direito ao Passe Livre?
Portadores de deficiência física, mental, auditiva ou visual comprovadamente carentes.
Quem é considerado carente?
Aquele com renda familiar mensal per capita de até um salário mínimo. Para calcular a renda, faça o seguinte:
Veja quantos familiares residentes em sua casa recebem salário. Se a família tiver outros rendimentos que não o salário (lucro de atividade agrícola, pensão, aposentadoria, etc.), esses devem ser computados na renda familiar.
Some todos os valores.
Divida o resultado pelo número total de familiares, incluindo até mesmo os que não têm renda, desde que morem em sua casa.
Se o resultado for igual ou abaixo de um salário mínimo, o portador de deficiência será considerado carente.
Quais os documentos necessários para solicitar o Passe Livre?
Cópia de um documento de identificação. Pode ser um dos seguintes:
  • certidão de nascimento;
  • certidão de casamento;
  • certidão de reservista;
  • carteira de identidade;
  • carteira de trabalho e previdência social;
  • título de eleitor.
Atenção: Quem fizer declaração falsa de carência sofrerá as penalidades previstas em lei.
Como solicitar o Passe Livre?
Fazendo o donwload dos formulários acima, preenchendo-os e anexando um dos documentos relacionados. Uma vez preenchidos, os formulários devem ser enviados ao Ministério dos Transportes no seguinte endereço: Ministério dos Transportes, Caixa Postal 9800 - CEP 70001-970 - Brasília (DF). Neste caso, as despesas de correio serão por conta do beneficiário; ou
Escrevendo para o endereço, acima citado, informando o seu endereço completo para que o Ministério dos Transportes possa lhe remeter o kit do Passe Livre. A remessa ao Ministério dos Transportes, dos formulários preenchidos, junto com a cópia do documento de identificação e o original do Atestado (laudo) da Equipe Multiprofissional do Sistema Único de Saúde (SUS), é gratuita e deve ser feita no envelope branco, com o porte pago.
Atenção: Não aceite intermediários. Você não paga nada para solicitar o Passe Livre.
Quais os tipos de transporte que aceitam o Passe Livre?
Transporte coletivo interestadual convencional por ônibus, trem ou barco, incluindo o transporte interestadual semi-urbano. O Passe Livre do Governo Federal não vale para o transporte urbano ou intermunicipal dentro do mesmo estado, nem para viagens em ônibus executivo e leito.
Como conseguir autorização de viagem nas empresas?
Basta apresentar a carteira do Passe Livre do Governo Federal junto com a carteira de identidade nos pontos-de-venda de passagens, até três horas antes do início da viagem. As empresas são obrigadas a reservar, a cada viagem, dois assentos para atender às pessoas portadoras do Passe Livre do Governo Federal.
Atenção:
Se as vagas já estiverem preenchidas, a empresa tem obrigação de reservar a sua passagem em outra data ou horário. Caso você não seja atendido, faça a sua reclamação pelo telefone 0800-61-0300. A ligação é grátis.
O Passe Livre dá direito a acompanhante?
Não. O acompanhante não tem direito a viajar de graça.
Informações:
Posto de atendimento - SAN Quadra 3 Bloco N/O térreo - Brasília/DF
telefones: (61)315.8257, 315.8261 e 315.8253.
Caixa Postal - 9.800 - CEP 70.001-970 - Brasília/DF
e-mail: passelivre@transportes.gov.br
Reclamações:
Ligue grátis: 0800-61-0300
e-mail: passelivre@transportes.gov.br
Departamento de Transportes Rodoviários
Caixa Postal - 9.800 - CEP 70.001-970 - Brasília/DF

MAIS UM PENSAMENTO DE PAULO FREIRE


DIREITO AO LAZER FAZ PARTE DA CIDADANIA


21 DE MARÇO: DIA INTERNACIONAL DA SÍNDROME DE DOWN


UM PENSAMENTO DE JUNG


HOMENAGEM AO DIA MUNDIAL DA CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O AUTISMO


domingo, 18 de março de 2012

FALTA ATITUDE


IMAGEM PARA REFLETIR


ENQUANTO VOCÊ RECLAMA DA VIDA...


VIVER... PONTO FINAL


A EDUCAÇÃO NÃO PODE SER DELEGADA SOMENTE À ESCOLA


PEQUENA GRANDE DIFERENÇA


ONDE ENCONTRAR A FELICIDADE


NÃO ESTÁ SORRINDO POR QUÊ???


CAMPANHA CONTRA OS QUE ESTACIONAM EM VAGAS DE DEFICIENTE


COMO AJUDAR SEU FILHO NA LIÇÃO DE CASA